AddThis Social Bookmark Button

Carteira de bolso: não sente no seu problema

AddThis Social Bookmark Button

Trabalhando, descansando ou dirigindo, a posição sentada é a prefererida. Apesar de essa posição parecer a mais confortável para a coluna, sem alguns cuidados ela pode trazer malefícios.

Usar a carteira no bolso traseiro da calça e se sentar em cima dela é um dos exemplos.

Isso é algo que pode produzir vários problemas na coluna, especialmente para aqueles que permanecem longos períodos do dia sentados.

Ao sentar-se, a carteira pressiona os músculos do glúteo, principalmente o piriforme, causando em muitos casos inflamação, uma vez que tal musculatura pressionada comprime o nervo ciático (síndrome do piriforme).

Há também, alteração na simetria causada por um aumento da carga na articulação sacro-ilíaca (junção da coluna vertebral com o quadril), alteração no alinhamento do quadril e desvios da coluna (escoliose).

O desconforto, caracterizado por dor no glúteo, formigamento, dormência, agulhadas, choques, queimação ou pontadas localiza-se normalmente na face póstero-lateral na coxa, podendo, algumas vezes ir até o pé. Estes são alguns sintomas comuns em homens que costumam levar a carteira no bolso traseiro.

Esse definitivamente é um mal hábito que pode comprometer a boa e normal funcionalidade do corpo.

Então, a opção mais saudável é você remover a carteira antes de sentar.

Procure mudar sua rotina postural.

O tratamento pode abranger medicamentos analgésicos, antiinflamatórios e relaxantes musculares sob prescrição médica, injeção local de anestésicos e corticosteróides, repouso, cirurgias nos casos mais graves.

Associados à fase medicamentosa, todos os exercícios que estimulam, igualmente, os dois lados do corpo auxiliam no tratamento e na prevenção, como: Pilates, natação, ioga, caminhada, hidroginástica e, em alguns casos, a musculação.

ATENÇÃO: Todas as atividades físicas trazem benefícios aos seus praticantes, porém podem ser prejudiciais se forem praticados sem orientação. de um bom profissional.

O Pilates trabalha o corpo de uma forma global, focando os movimentos funcionais, força e flexibilidade dos membros inferiores, enfatizando os princípios básicos, dentre eles: respiração, posicionamento da pelve, posicionamento da caixa torácica, movimentação e estabilização da cintura escapular e posicionamento da cabeça e coluna cervical. Trazendo essa consciência ao praticante, fará com que se habitue a posturas mais adequadas no seu dia-a-dia, aliviando dores.

O que importa, no geral, é que haja novos hábitos que proporcionam reequilíbrio corporal, objetivando o retorno breve às atividades da vida diária de forma segura e efetiva.

 

Fonte: Internet